Engenho & Obra - Associação para o Desenvolvimento e Cooperação, ONGD
 
 

English  

Segue-nos

Entidade Formadora Certificada

 
Exposição de Laura Cesana, no Museu Nogueira da Silva Braga, de 4 a 27 de Fev 2011
 
Exposição de Laura Cesana, no Museu Nogueira da Silva Braga, de 4 a 27 de Fev 2011
 

A Artista Plástica LAURA CESANA expõe, na cidade de Braga, no Museu Nogueira da Silva, de 4 a 27 de Fevereiro. A inauguração ocorre no Sábado dia 4, pelas 17:00 horas, com a presença da Artista. A Exposição estará aberta de 3ª a 6ª, entre as 10 e as 12:00 horas e entre as 14 e as 18:30 horas; aos Sábados, entre as14 e as 18:30 horas.


Laura por ela própria

“Obra Gráfica e Raízes :
Ao longo da minha vida tenho pintado inspirada por elementos, sentimentos, emoções: interiores, velas e raízes, elementos no espaço, paredes abstractas, fases de inspiração hebraica, mulheres e fantasias, o mar, a música, a obra poética de Fernando Pessoa, etc. Já tive a honra e o privilégio de expor no Museu Nogueira da Silva em 1990, com um texto para o catálogo do escritor Mário Cláudio. Para esta minha segunda exposição individual neste Museu, escolhi expor uma selecção da minha obra gráfica e da minha fase das Raízes *. Tive a honra de ter uma exposição antológica da minha obra gráfica no Centro Cultural Português, em 2003, no Luxemburgo. Quanto às Raízes...assim como disse numa entrevista respondendo a uma pergunta sobre o que me encantou em Fernando Pessoa, fazendo uma lista respondi também “a maneira de ser tanta gente!”. Todos temos raízes variadas e diferentes e cada uma enriquece e completa o próprio ser em maneiras únicas e próprias. Obras desta minha fase foram expostas, pela primeira vez, na Galeria S. Francisco em Lisboa, no longínquo 1978. Ainda hoje há pessoas que procuram esta fase do meu trabalho! Espero possam gostar.”


Opinião de Luís d’ Oliveira Nunes (sobre esta fase de Laura)

“... Nas suas telas há um pouco do deserto, talvez, mesmo as suas miragens, descarnadas, despidas de arrebiques ou invenções barrocas, puras no traço, quase sempre vertical, como a subir para as alturas. E nas suas como que ossificações há uma transparência e uma invenção onírica de uma beleza segura, de grande unidade definitiva, sólida. Atingiu, digamos assim, a maturidade plena, aquela que os anos e a prática emprestam para se ter uma visão segura e depurada do mundo que escolhemos para nosso tema. O que mostra, … é algo de muito belo que na sua pureza vale a pena admirar.”

Artigo “Maturidade e saber na obra de Lori-Laura Cesana”, 3 de Fevereiro 1978, Diário de Notícias.

-----
Laura Cesana está na Internet: http://www.lauracesana.com


 
2011-01-27
 
« Voltar